Nova, madura e mágica

por julyanna

opa! hoje Julyta (minha própria irmã) escreve uma resenha sobre uma cantora que ela me apresentou e eu amei. Boa leitura:

A voz doce de Gisele de Santi

Gisele de Santi é gaúcha. Isso mesmo! Uma cantora do Rio Grande do Sul! Fugindo do badaladíssimo eixo Rio-São Paulo, Gisele lança o seu primeiro cd com boas novidades.Desde pequena Gisele gostava de músicas, mesmo com pouquíssima idade, apenas 14 anos, a cantora foi seguir o caminho natural: bares, jingles…

Ao 18 anos, ingressou na faculdade de música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e lá a vontade de fazer seu próprio trabalho surgiu com uma força difícil de conter.

Com apenas 25 anos fez um disco maduro, refinado e muito, muito gostoso.

O disco leva o nome da cantora e sua estreia é brilhante!

Na internet há pouca coisa sobre o seu trabalho e sobre a sua história. Descobri por acaso as letras românticas, com arranjos arrojados e de grande simpatia musical.

Andando lado-a-lado com outras grandes cantoras surgidas nessa década, como Tulipa Ruiz e Tiê, Gisele parece bem a vontade no meio musical. Soma refinamento e segurança e faz avançar a nova música brasileira.

A música intitulada “chama-me” simplifica o teor do álbum. Com a voz doce a cantora provoca “chama, me chama, que eu te espero no fundo do salão dos dias”. A faixa vai numa “crescente” quase erótica, pintando a cena amorosa.

“E eu” samba misturado com afoxé, é uma letra que “acha” (se é que existe!) o culpado para as agruras de uma relação: “Amor, você judiou, e eu?/Amor, quem tropeçou fui eu/Você ficando só no muro e eu caminhando em círculos/Você é futuro que passou e eu vivendo de particípio”.

Todas as faixas trazem em si uma inovação, seja pelas harmonias, pensadas para “encaixar” perfeitamente na voz da jovem cantora, seja pelas letras que evocam sentimentos universais.

Vale a pena buscar conhecer Gisele de Santi e a magia da sua música.

Anna Julyta

Gisele de Santi – E eu 

Gisele de Santi – Canção do sol

Gisele de Santi – Morena Branca

Gisele de Santi – Quinhão

Gisele de Santi – Chama-me

até.